sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Spoilers de Pathfinder Battles: Deadly Foes

Spoilers de
Pathfinder Battles: Deadly Foes

Estavam sentindo falta da Confraria mais ativa? Eu sim... principalmente no que se refere à Paizo, por isso vamos colocar em dia algumas coisas, a começar pelos spoilers da nova série de miniaturas Pathfinder Battles: Deadly Foes. Esta nova série contará 52 miniaturas inéditas que irão desde assustadores hobgoblins à soldados demoníacos, passando por alguns monstros gigantes, além de peças para compor seus cenários. O lançamento está marcado para novembro.

Vamos à peças, começando pelos nossos adorador monstros!!!

A primeira delas não poderia ser algo mais instigador. O Clockwork Dragon (Pathfinder RPG Bestiary 4) será uma das maiores peças da coleção, concorrendo a ser uma das mais bonitas.


Temos também o maravilhoso, e grande, Strange Aeon, inspirado nas obras de HP Lovercraft em todo o seu horror. Um enorme Cthulhu emergindo da água.


Depois dessas peças incríveis temos outras que separei por categorias. Representando os seres que habitam as cavernas temos o Doppelganger (média, incomum), o lindo Invisible Guardian (média, comum), o Lemure (Pathfinder RPG Bestiaty - média, comum), a Gynosphinx (grande, rara), Salamader (média, comum), Flying Ray (grande, incomum), Giant Cave (Pathfinder RPG Bestiary 3 – grande, incomum) e o House Drake (Pathfinder Bestiary – pequena, incomum).









Dentre os seres infernais temos a dupla Hellcat (pequena, incomum) e Hell Hound (grande, incomum), Imp (pequena, incomum), o enorme Cerberus (Pthfinder Bestiary 3 – média, incomum), Baalzebul (Pathfinder RPG bestiary 2 – pequena, comum), Fire Diabolist (Pathfinder RPG NPC Codex – média, rara), Pit Devil (grande, rara) e o Beardead Devil (média, incomum).










Dentre os hobgoblins temos três opções apresentadas até o momento: Hobgoblin Archer (média, comum), o Hobgoblin Alchemist (média, comum) e o Hobgoblin Cleric (média, comum).




Dentre os animais temos Cockatrice (pequena, incomum), Giant Eagle (grande, incomum), o Arkhanv Drone (Pathfinder RPG Bestiary – grande, incomum), o Giant Crab (média, comum) e o Cave Catcher (média, incomum).







Dentre os NPCs variados temos Thrune (média, comum), Technic League Captain (média, rara), Celestial Sentinel (média, comum), Celestial Trumpeter (média, incomum), o membro do Decenvirate (média, rara) e a celestial do fogo Peri (média, incomum).







Passando para os NPCs temos Lord Asmodeus com suas duas maças (média, comum), um dos antagonistas da série, Barzillai Thrune (média, rara) e a alada Erynies (média, incomum).





Para encerrar foram apresentadas apenas duas peças de mobília: uma lanterna celestial (comum) e um belíssimo livro sobre um pedestal (incomum) sendo que o livro é removível sendo ela uma peça dois em uma.




Cartas a Vapor traz o steampunk brasileiro para sua mesa

Cartas a Vapor traz o steampunk
brasileiro para sua mesa



O cenário steampunk há muito fincou pé no Brasil de forma definitiva. Começou vagarosamente com uma obra aqui, um quadrinho ali, e logo começamos a perceber um mercado carente e receptivo para este estilo. O prêmio na última edição do Troféu HQMix para a HQ “Steampunk Ladies: Vingança a Vapor” (Editora Draco), texto de Zé Wellington e arte de Di Amorin e Wilton Santos, e a obra sulista “A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison” (Casa da Palavra/Leya), de Enéias Tavares, são provas tanto de qualidade da produção nacional no cenário steampunk quanto da receptividade do mercado. E justamente esta segunda obra é que abre as portas para um novo financiamento coletivo com o qual somos presenteados.

Cartas a Vapor” é um cardgame inspirado na obra de Enéias Tavares jogando todo o imaginário steampunk portoalegrense, criado pelo autor, para a sua mesa e diversão. O jogo em si, execução da Potato Cat, se apresenta com um cardgame onde você é levado a integrar uma das duas equipes - vilões ou heróis - tendo que realizar missões para alcançar a vitória. São 234 cartas com arte estupenda. Os personagens e equipamentos estão maravilhosamente representados, mas o diferencial para mim, a cereja do bolo, são os cenários compostos por imagens formadas por três cards apresentando locais históricos da cidade de Porto Alegre do início do século XX.


O financiamento está muito acessível e prevejo um sucesso grande desta empreitada. Sua ajuda pode iniciar com R$ 15 reais dando direito ao arquivo pdf para você simplesmente imprimir suas cartas e sair jogando – uma jogada de mestre. Daí em diante as adesões ao financiamento podem lhe conceder o jogo de forma física, exemplares da obra original autografada, canecas, camisetas e até mesmo um maravilhoso busto do Dr. Louison ou do Robô Trolho (com 18 cm de altura).


Veja abaixo a apresentação do cardgame na página do financiamento e confira os vídeos:

“Sejas muito bem-vindo(a) a Porto Alegre dos Amantes! Casa de aventureiros místicos, de autômatos movidos a vapor, de nobres com reputação duvidosa e, é claro, de mistérios que clamam por uma resolução. Muitas coisas estranhas vêm acontecendo por aqui, e cabe a ti trazer um desfecho para essas histórias.

Cartas a Vapor é um Card Game Steampunk inspirado no livro nacional "A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison", publicado pela editora LeYa e escrito pelo gaúcho Enéias Tavares. Ambientado no século XX, em Porto Alegre dos Amantes, traz personagens clássicos da literatura brasileira, como Bento e Sergio de "O Ateneu" (Raul Pompeia), Simão Bacamarte de "O Alienista" (Machado de Assis) e Solfieri de Azevedo de "Noite na Taverna" (Álvares de Azevedo).

Dentro dos cenários desse universo, os jogadores se dividem em duas equipes e interpretam os personagens em missões diversas, utilizando ferramentas incríveis e criando mecanismos extraordinários, a fim de compor uma inusitada transfiguração do Card Game Clássico.”





Chegando Senhor das Sombras, segundo livro-jogo no cenário Tormenta RPG

Senhor das Sombras chengado


A Jambô Editora está lançando o seu Segundo livro-jogo dentro do cenário de Tormenta RPG. “Senhor das Sombras” se passa quando somos confrontados com o rapto do filho do rei de Zakharov, o reino das armas. Abaixo veja a apresentação oficial da obra eu já está disponível.

O destino de todo o reino nas mãos
do terrível Senhor das Sombras!

Uma nova aventura-solo ambientada no mundo de Tormenta.

Zakharov é o reino conhecido por suas espadas, machados e armas de altíssima qualidade, mas seu rei Walfengarr Roggandin, está diante do maior problema de sua vida: seu filho Eric foi raptado! Todas as pistas indicam que este é o trabalho de um terrível criminoso conhecido como Gazin Adagas. Agora, somente um bravo e destemido herói poderá salvar a vida do príncipe herdeiro: o leitor!

Mas isso não é tudo. O arriscado resgate do jovem Eric é apenas parte de um plano sinistro elaborado pelo misterioso “Senhor das Sombras”, que ameaça o povo de Zakharov e de toda Arton!

O Senhor das Sombras é o segundo livro-jogo no mundo de Arton, onde o leitor assume o papel de um intrépido herói que terá de enfrentar monstros, perigos e desafios inesperados em uma aventura épica nos incríveis cenários do mundo de Tormenta.

Um livro imperdível escrito por Athos Beuren, com arte fantástica de Adriano Batista e capa de Caio Monteiro.

O Senhor das Sombras tem 256 páginas (formato 21 x 25 cm, preto e branco).







segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Dicas do Mestre: Aventureiros e as feiras

Dicas do Mestre
Aventureiros e as feiras


Andando pela Feira de Cultura Japonesa e nerd, neste final de semana, me vi em meio à uma multidão enorme de pessoas entre os estandes e barraquinhas de comida típica. Era um bagunça incrível de pessoas falando e sons ambientes, tudo misturado, que deixavam qualquer um zonzo. Mas mesmo com esta balbúrdia eu ficava recebendo fragmentos de informações e assuntos diversos. Quase na mesma hora comecei a pensar em como seria se um grupo de aventureiros estivesse em uma feira de uma cidade de tamanho médio à procura de informações sobre um mesmo assunto.

Uma das coisas mais comuns em aventuras de RPG de fantasia é a procura de informações importantes em uma feira. A feira é naturalmente um ambiente com extrema interação de pessoas da cidade e arredores (e até de longe às vezes) e serve muito mais do que apenas comprar objetos e refazer seus estoques. Nela os aventureiros conseguem descobrir os mais variados assuntos e segredos da cidade e das pessoas que ali vivem.

Considero este um momento muito importante e que poderia ser melhor trabalhado pelos mestres. Normalmente os mestres são orientados pelos livros em realizar um teste apropriado, conforme o sistema, e apenas passar aos jogadores a informação com o nível de exatidão condizente com o valor rolado nos dados. Por que não ampliar isso.


A experiência por mim vivida mostrou que as coisas podem ser mais divertidas. Ao invés de apenas dar uma resposta (ou respostas) para o grupo sobre determinado assunto, lance uma série de fragmentos. Conforme o valor da rolagem dos dados (conforme o sistema utilizado exige) esses fragmentos serão mais ou menos exatos. Caberá ao grupo juntar as pistas e confirma a veracidade de algumas dessas informações. Isso obrigará o grupo ter uma maior interação com cidade e seus alvos até que tenha certeza da veracidade das informações.

Esta ação pode ser melhorada ainda mais. Faça testes individuais com cada um dos jogadores que pretender ir à feira para procurar informações e conceda fragmentos ou assuntos para cada um de forma diferenciada – alguns iguais entre eles, outros contraditórios e outros, ainda, diferentes.


Isso pode parecer tempo perdido para alguns, mas para quem deseja entrar realmente no cenário é uma verdadeira oportunidade para uma maior imersão e, quem sabe, uma forma de dar início à outras aventuras ou campanhas. Muitos fragmentos podem ser usados (por um mestre interessado) como elementos de aventuras futuras ou mesmo plots de quests dentro da própria aventura.