terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Material de Apoio - Navegação 15

Material de Apoio - Navegação


Armamentos piratas em Arton II

Canhão Doherimm Médio: é um canhão de tamanho normal, tendo as vantagens básicas por ter sido fundido por anões. Seu alto custo quase que impossibilita que um navio esteja armado apenas com canhões desta natureza. Precisam de pelo menos três homens para manuseá-lo em todo o processo, desde o tiro até a recarga. O quadro abaixo mostra uma ckmparação entre as duas versões de canhões médios:


Seu grande peso também obriga que seja devidamente estudado o seu posicionamento nos conveses inferiores da embarcação. Normalmente eles estão dispostos no centro do navio. Além disso, eles são colocados em igual número, de cada lado da embarcação, quando mais de um.

Dano: 7d12 (ou outro se a munição for especial)
Decisivo: x3
Alcance: 90m
Peso: 350kg
Tipo de Dano: variado
Custo: 3000 PO

Canhão Doherimm Grande - o Inferno Anão: são peças de artilharia de tamanhos muito maiores do que os convencionais. Seu grande poder de destruição e alcance transformam-nos em peças mortais para seus adversários. Ao mesmo tempo são extremamente raros e caros. Sabe-se que pelo menos dois navios pertencentes à frota oficial do Imperador-Rei Thormy estão armados com estas beldades bélicas.

São peças magníficas, além de imensas, demonstrando toda a habilidade dos anões em fundir metal e dar-lhe forma. Normalmente, na lateral, possui o relevo de um animal, conferindo à peça de artilharia aquele nome.

Não se pode ter mais do que uma destas peças por embarcação devido ao grande dano que seu disparo pode conferir à estrutura da embarcação. Existem duas possibilidades de colocação dele no navio – uma de proa e outra de popa. Mas, sempre que ele for utilizado num navio, este precisa de uma reformulação em sua estrutura. Ele só pode ficar no primeiro dos conveses inferiores e ocupa o equivalente à dois andares. Por esse motivo nunca um navio de pequeno porte (embarcações abaixo do tamanho imenso) poderá utiliza-lo. Além disso, devido à necessidade de grande espaço para seu manuseio, a embarcação contará com apenas dois terços de seu total de peças de artilharia.

O disparo dele requer muitos cuidados e uma preparação prévia. São necessários pelo menos dez homens para todo o processo de disparo e de recarga deste canhão. O navio deverá ter sua estrutura reforçada e estar preparado com uma porta móvel que deverá ser retirada para o disparo do canhão (tanto na proa quanto na popa). Ele tem de ser carregado em sua posição recuada. Após isso ele será deslocado, para a frente, até a posição de disparo. Um emaranhado de cordas e roldanas é colocado para frear o retrocesso da peça depois do disparo. A mira para o disparo é efetuada pelo posicionamento do navio. É um trabalho minucioso efetuado entre o capitão, o piloto e o condestado, que trocam informações constantemente antes do disparo.

Com disparo a embarcação sofrerá um impacto que a fará elevar a posição do canhão (proa ou popa) em cerca de vinte e cinco graus. Qualquer marinheiro que não esteja preparado poderá ser arremessado (teste de Destreza para não sofrer dano). Com o navio sendo jogado para trás (ou para frente) ele terá um movimento igual, para o lado oposto, que se repetirá em pelo menos 4 vezes de vai-e-vem. Neste período nada poderá ser feito dentro da embarcação sem os testes devidos de Destreza. Devido à esta movimentação do navio nunca o disparo deve ser realizado à menos de 50 metros do alvo, podendo causar à embarcação metade do dano aplicado ao adversário.

O navio poderá sofrer danos estruturais em 25% das vezes no primeiro disparo. O dano, quando ocorrer, será de 5d12 à estrutura do navio. Num segundo disparo as chances de dano de 50% com dano de 6d12, e num terceiro disparo as chances serão de 75% com dano de 7d12. No quarto disparo o dano é inevitável, com dano de 10d12. Sempre que houver uma espera de uma hora entre um disparo e outro, o disparo será considerado um primeiro disparo. Um novo disparo não poderá ser efetuado antes de dez minutos do anterior. Neste tempo o cano deverá ser resfriado com água para que o processo de recarga seja iniciado. O processo todo leva até quinze minutos entre o resfriamento e a recarga.

Dano: 15d12
Decisivo: x3
Alcance: 500m (mínimo de 50m)
Peso: 1000kg
Tipo de Dano: apenas concussão
Custo: 10000 PO

3 comentários:

Vill disse...

Esse canhão grande é estupidamente ignorante e butal! Legal!
A melhor coisa pra se fazer com ele é colocar uns 5 na frente do palacio imperial (em terra mesmo) e esperar pelo Arsenal e o robozinho dele :D

guerrasdraconicas disse...

Não sei se meu post anterior foimas contem algumas duvidas: O temp de recarga ~e 10 ou 15 minutos? o 5 minutos adicionais seriam do vai e vem do navio? qual a dificuldade para o teste de destreza para não cair durante o disparo?

João "o escriba" Brasil disse...

Acho que para o Arsenal seria necessário um pouco mais de cinco canhões desses !! hehehehe

Quanto ao tempo de recarga é de 15 minutos consistindo de resfriamento e recarregamento do canhão. Quando falei que um novo disparo não pode ocorrer antes de dez minutos, e que a recarga leva quinze, acabei sendo no mínimo redundante.... Vou alterar o texto... Obrigado pela dúvida!!! Quanto à dificuldade eu não especifiquei por achar que deve ficar à critério do mestre e das condições da embarcação no momento do combate!