quinta-feira, 13 de junho de 2013

Mutantes e Malfeitores: Analisando Regras - Repertório


Analisando Regras: Repertório

O tema da vez, mantendo uma linha ligado à poderes, será o Repertório de poderes. Vamos entender exatamente o que seria isso.

Repertório nada mais é do que um conjunto de Poderes Alternativos, dinâmicos ou não, ligados à um poder básico. É uma estrutura, termo usado no “Manual do Malfeitor”, mais complexa para criar uma rede de poderes. Na minha opinião particular a verdadeira razão da existência do Repertório de poderes é facilitar, ou melhor, baixar o custo de um grupo muito grande de poderes.

Embora ele possibilite ao jogador uma enorme flexibilidade para mesclar poderes que juntos teriam um custo exorbitante, ele causa um grande desbalanceamento na estrutura do poder, podendo influenciar de forma negativa a aventura. Por isso mesmo uma das maiores recomendações feitas nos livros que comentam ou fazem uso de Repertório é a de que o mestre deve permitir isso com muito cuidado.

Na minha opinião, e como costumo fazer, o ideal seria permitir o uso do repertório ligado à uma lógica do personagem ou junto de um background adequado, desde que não interfira no ritmo da campanha. O que seria isso? Seria permitir a construção de um personagem sem exageros e sob supervisão do mestre. O mestre poderia optar por permitir apenas a construção de repertórios com grupos de poderes que sigam a mesma linha. E no livro mesmo há uma passagem que sugeri isso também: “Os repertórios devem ter algum víncculo além de ‘todos os poderes que eu quero’, e o mestre deve se sentir livre para vetar repertórios que não tenham um tema coerente”. Veremos exemplos mais tarde.

As regras e sua aplicação prática
O Repertório é um estrutura que custa 2pp por graduação, e cada graduação concede 2 pontos para serem gastos.

1 graduação x 2pp = 2 pontos para gastar

Por causa dessa base de custo a construção do repertório é um pouco complicada e deve ser realizada com o maior cuidado, pois facilmente nos perdemos nos custos ou limites.

Bom, tendo entendido isso vamos começar escolhendo um tema. O tema seria a base de nosso repertório de poderes e para isso usaremos o exemplo da Tempestade, um membro clássico dos X-Men. Como todos os fãs de quadrinhos e heróis sabem Ororo Monroe tem seus poderes ligados à manipulação das forças da natureza ligadas, direta ou indiretamente, ao clima. O que mais chega perto desse tema seria o poder Controle Climático (Livro Básico, página 78) e daremos o nome de Repertório Controle do Clima. Sobre este poder é que será construído todo o nosso repertório. Seu custo é de 2 pontos por graduação. Então, tendo decidido qual nosso poder básico vamos começar a dar forma à personagem.

Imaginemos então que ela possua seu poder de Controle Climático em nível 10. Com essa escolha você ganha um efeito de Controle Ambiental à sua escolha e escolhemos aqui ‘calor’. Aqui temos o primeiro dos limitantes para essa estrutura. Nenhum dos poderes Alternativos poderá ter nível maior do que o nível do poder base, ou seja, 10.

Repertório Controle do Clima
Base: Controle Climático 10 = 20pp

Nesta base podemos agregar normalmente falhas, feitos ou extras, que entrarão na base de cálculo do poder. Agora vamos escolher os poderes alternativos. Nossa escolha será variada:

Controle Ambiental [frio]: ela literalmente modifica o clima à sua volta de várias formas e com custos diferenciados.
Controle Ambiental [distração]: um pouco diferente de Controle do Ar este poder se baseia diretamente em condições que enganem ou dificultem outros.
Controle do Ar: sabemos que ela é capaz de controlar os ventos podendo criar de pequenas brisas até fortes tempestades.
Voar: ela é capaz de voar graças ao seu controle dos ventos.
Raio: ela pode lançar relâmpagos poderosos.
Pasmar: seus relâmpagos e trovões podem distrair os outros.
Imunidade: ela é, até certo ponto imune ao frio ou a temperaturas relativamente altas.
Obscurecer: ela cria neblinas que podem esconder ela ou outros.
Super-sentidos: ela tem uma capacidade premonitória.

Aqui temos uma boa gama de opções e vamos começar a organizar elas. Todos eles entrarão como poderes alternativos, graduando eles, mas nunca ultrapassando a graduação do poder base.

Repertório Controle do Clima
Base: Controle Climático 10

PA: Controle ambiental [frio] 10
PA: Controle ambiental [distração] 10
PA: Controle do Ar 10
PA: Voô 4
PA: Raio 7
PA: Pasmar 8
PA: Imunidade
PA: Obscurecer 8
PA: Super-sentidos 2

Com essas PAs que escolhemos somamos mais 9 pontos ao nosso total, 1 ponto para cada PA. Temos então a soma:

20 pts (Base) + 9 pts (PAs) = 29 pts

Por enquanto as PAs ainda são simples poderes alternativos. Agora devemos decidir quais serão dinâmicas ou não. Isso vale inclusive para o poder base. Isso irá determinar quais poderes poderão ser usados juntamente com o base.

Repertório Controle do Clima
Base: Controle Climático 10 [Dinâmico]

PA: Controle ambiental [frio] 9 [Dinâmico]
PA: Controle ambiental [distração] 8 [Dinâmico]
PA: Controle do Ar 10 [Dinâmico]
PA: Voô 4 [Dinâmico]
PA: Raio 7 [Dinâmico]
PA: Pasmar 8
PA: Imunidade 2 [Dinâmico – condições ambientais – frio e calor]
PA: Obscurecer 8 [Dinâmico]
PA: Super-sentidos 4 [Precognição]

Acrescentamos 8 Dinâmicos à estrutura toda e acrescentamos à soma de pontos que estão sendo gastos.

20 pts (Base) + 9 pts (PAs) + 8 pts (Dinâmicos) = 38 pts

Depois disso verificamos cada um de nossos poderes, inclusive o base, para perceber que eles precisam de algum outro detalhe tais como Feitos, outros PAs ligados à algum desses poderes, Extras ou Falhas. Vamos incrementar um pouco essa estrutura. Para cada uma delas aplicamos os custos devidos sempre levando em conta que o PA não pode ter seu nível superior ao nível do poder base. Os custos são os mesmos de um PA normal. Para cada feito aplicado acrescenta-se 1 pp à soma total. Da mesma forma, calcula-se os Extras e Falhas, aumentando ou diminuindo o custo de cada PA para seu cálculo em relação à comparação ao poder base. Então vamos dar uma acrescentada aqui e aplicar algumas descrições.

Repertório Controle do Clima [Feito: Inato]
Base: Controle Climático 10 [Dinâmico]

PA: Controle ambiental [frio] 9 [Dinâmico– Feito: Alcance ampliado]
PA: Controle ambiental [distração] 8 [Dinâmico– Feito: Alcance ampliado]
PA: Controle do Ar 9 [Dinâmico – Feito: Preciso]
PA: Voô 4 [Dinâmico]
PA: Raio 7 [Dinâmico – Feito: Indireto, Acurado]
PA: Pasmar 8 [Auditivos e visuais]
PA: Imunidade 2 [Dinâmico – condições ambientais – frio e calor]
PA: Obscurecer 8 [Dinâmico (Neblina) – Feito: Alcance ampliado]
PA: Super-sentidos 4 [Precognição]

Foram acrescentados 6 feitos de poder e nenhum deles acabou por alterar o valor dos PAs acima do poder base. Neste caso somaremos apenas os 5 pontos referentes aos PAs.

20 pts (Base) + 9 pts (PAs) + 8 pts (Dinâmicos) + 6 pts (Feitos) = 44 pts

Podemos encerrar por aqui e ir par aos cálculos finais. Como disse no início, para cada ponto de poder gasto ganhamos 2 pontos para gastar. Como nossa soma final ficou em 44 pontos e fazendo um cálculo rápido vemos que tivemos 22 pontos de graduação utilizados. Assim no Repertório tem 22 graduações. Veja a montagem, quase finalizada, do repertório abaixo:

Repertório Controle do Clima 22 [Feito: Inato]
Base: Controle Climático 10 [Dinâmico]

PA: Controle ambiental [frio] 9 [Dinâmico– Feito: Alcance ampliado]
PA: Controle ambiental [distração] 8 [Dinâmico– Feito: Alcance ampliado]
PA: Controle do Ar 9 [Dinâmico – Feito: Preciso]
PA: Voô 4 [Dinâmico]
PA: Raio 7 [Dinâmico – Feito: Indireto, Acurado]
PA: Pasmar 8 [Auditivos e visuais]
PA: Imunidade 2 [Dinâmico – condições ambientais – frio e calor]
PA: Obscurecer 8 [Dinâmico (Neblina) – Feito: Alcance ampliado]
PA: Super-sentidos 4 [Precognição]

Pontos gastos: 45 pts

Um detalhe importante. Podemos agregar também Feitos e outros efeitos ao próprio Repertório. Neste caso o efeito atuará sobre toda a estrutura. Como exemplo, note que agreguei o feito Inato ao repertório. Isso significa que todos os poderes da estrutura são inatos. O cálculo muda um pouco também. Como exemplo podemos agregar ao repertório o feito Inato, algo comum para personagens mutantes. Este ponto gasto com o feito (poderia ser com um extra ou com uma falha) atua sobre o cálculo final, tendo então 45 pontos.

Esta é uma das formas para construirmos um repertório. Acho que vocês perceberam que eu fiz um caminho que foi dos poderes em direção à graduação do Repertório. Em resumo, eu não me preocupei com os pontos gastos ou com a graduação. Isso se aplica muito bem com adaptações de personagens sem a preocupação de níveis de poder.

A outra forma de construir um repertório, e a que deve ser preferida quando vamos construir personagens destinados à uma campanha é realizar o caminho que vai da escolha da graduação do repertório em direção à escolha do poder base e de seus PAs.


12 comentários:

Thales Francisco disse...

ficou uma dúvida, o custo final é 44 ou 23? porque o custo em pontos caiu tanto?

João Brasil disse...

É verdade...um errinho de corta e cola básico..... Muito obrigado!!!

Tarsis disse...

No livro Ultimate Power, no livro básico e no Manual do Malfeitor diz que, em um repertório com poderes alternativos, não é possível usar mais de um poder ao mesmo tempo, a menos que eles seja Ligados entre si, mesmo que sejam Dinâmicos. O fato de serem Dinâmicos apenas atesta que pode-se mover pontos de um poder dinâmico para outro poder dinâmico, alterando a estrutura daquele poder momentaneamente. Você diz em seu texto que poderes Alternativos dinâmicos podem ser usadas ao mesmo tempo ao passo que os livros dizem que não podem. Como fica aí essa história?

João Brasil disse...

Opa, uma ótima questão essa Tarsis.... Vamos à explicação.

Num primeiro momento o texto dos livros (principalmente o UP) pode parecer confuso em sua explicação, quem sabe pela forma escolhida de tradução. A regra de Repertório diz que o jogador pode alternar entre poderes, usando um de cada vez, “designando os pontos de seu Repertório uma vez por rodada como uma ação livre”. Até aqui tudo bem. Você escolhe onde usar seus poderes. No mesmo UP diz que “O feito de poder Dinâmico muda isso, permitindo que você ‘misture’ Poderes alternativos”, ou seja, você pode gastar os pontos não só em um efeito (Base ou PA), mas da forma que você desejar desde que os efeitos usados tenham esse feito.

A questão é: eles podem ser usados simultaneamente a partir do feito Dinâmico ou precisam do Extra Ligado? Resposta: só o feito dinâmico basta. Por uma questão de lógica, ao usarmos o feito Dinâmico temos a possibilidade de fragmentar nossos pontos do Repertório para quantos poderes com o efeito dinâmicos desejarmos. Isso não teria lógica se ainda precisássemos de outro Extra. Em segundo, na própria explicação no Manual do Malfeitor, página 61, está dito explicitamente: “Em outras palavras, no caso de um repertório dinâmico o personagem pode usar mais de um poder do repertório por vez, contanto que o custo total dos poderes sendo usados não ultrapasse o custo do poder base”.

A tua questão é onde o extra Ligado entra nisto tudo e se ele não exclui a explicação anterior, obrigando seu uso para permitir que dois poderes sejam utilziados simultaneamente. A questão do extra Ligado é um pouco diferente. No UP, página 111, é dito que “Efeitos no mesmo Poder Alternativo não são Ligados, embora possam ser”. Na página 112 ele completa “efeitos no mesmo poder alternativo não são ligados em princípio, mas podem ter este modificador, se você quiser usá-los apenas simultaneamente.” Conceitualmente Ligado é utilizado para poderes ou efeitos que ‘só podem ser usados’ junto com outro(s) poder(es) ou efeitos. Por exemplo, um personagem tem o poder Voo ligado ao poder Campo de Força. Ele só poderá ativar um ativando o outro, tal qual o personagem da Marvel Míssil, que torna-se invulnerável quando voando. Ele não pode só voar ou só ativar seu campo de força. Isso pode ocorrer também em um repertório, mas difere de Dinâmico.

Espero ter ajudado!!!! Abração e bons jogos!

Albenir disse...

Pelo que li no UP os Poderes Alternativos que estruturam o Repertório devem ser comprados normalmente, com seu custo normal. Mas os Feitos de Poder (também chamados de Poder Alternativo) custam 1, com adicional de 1 para Dinâmico.

João Brasil disse...

Sim Albenir.... exatamente o que expliquei no artigo.... Qual a sua dúvida... Pode me procurar no Face se preferir!!!

Albenir disse...

Opa. To mestrando esse sistema, pois achei muito interessante, completo e versátil. Peguei um gancho de suas fichas da Márvel, mas, ainda é obscuro pra mim algumas coisas. Exemplo, no Manual Revisado e do Ultimate Power, cita que uma configuração de repertório (chamado de Poder Alternativo) tem seu custo normal, não custo 1 como você citou. Na minha visão, o repertório é útil quando você quer ter vários efeitos e poderes, mas não tem PP suficientes, com a desvantagem de exigir uma administração especial de como usar os poderes. No mais, é isso, inseri meus jogadores em um mundo Márvel e seu blog ta sendo muito útil, muito obrigado. heheh

João Brasil disse...

Que bom que as fichas tem sido uteis.... Estou em processo de revisão e reconfiguração de todas para estarem sempre atualizadas....

Quanto a tua dúvida, ainda acho que está confundido... Por exemplo, no UP, página 111, coluna a, no segundo parágrafo do item 'Repertório', há um exemplo que deixa claro que o custo do PA é 1 pp.

Me procura pelo Face e trocamos umas ideias!!!

Face: https://www.facebook.com/joaoeugenio.cordovabrasil

Albenir disse...

Meu caro, trocarei umas ideias com co você sim, amanhã te mando um alô. Mas, revisando bem e lendo seus artigos, entendi como funciona (creio eu). No caso, 1 PP você "compra" o poder e a Graduação dele você bota de acordo com o custo do poder desejado respeitando o custo utilizado no poder principal. Cheguei perto? haha. Abraço.

João Brasil disse...

Exato.... e agrega 1 pp adicional se ele for Dinâmico... Claro que isso causa muita controvérsia aqui e lá fora.... O debate em si fica se o limitante seria a graduação do poder ou o custo do poder em comparação ao poder base....

Mateus Fôlego disse...

Opa amigo, sou novo no sistema e tenho uma duvida sobre o repertório, por exemplo eu tenho um místico NP 10 com magia 10 e 4 poderes alternativos variados todos com o mesmo custo em graduação de magia (2 por graduação), no decorrer da aventura o mestre decide aumentar o NP dos personagens para 11. É nesse ponto que chega minha dúvida, caso eu aumente o nivel da minha magia para 11 que é o limite da campanha atual, todos os meus poderes alternativos relacionados a magia aumentam respectivamente?
Agradeço desde já.

João Brasil disse...

Salve Mateus.... essa sua questão foi maravilhosa.... tão incrível que será a próxima postagem do blog enter hoje e amanhã... aguenta mais esse tempinho que terá todas as explicações!!!